Qual o valor da sua ética ?

diabo

Nos dias atuais, diversas notícias sobre investigações do Ministério Público tem nos deixado assombrados com a ganância e falta de vergonha de nossos políticos.

Num dos exemplos, uma pequena apreensão de dinheiro proveniente de corrupção, se tornou o sétimo maior roubo da História Mundial. E detalhe, uma pequena apreensão.

Mas porque isso nos choca ?

Recomendo aqui um exercício fictício, baseado em nossas atitudes do cotidiano, em que uma parte dessa corrupção se explica pela nossa liberalidade com as leis e uma tentativa nossa de explicar esses “deslizes” de uma maneira branda.

Responda o questionário a seguir :

  1. – Compro aquele Cdzinho pirata ?
  2. – Compro equipamentos em lojas como Mercado Livre ou OLX, ou outro canal, declaradamente sem Nota Fiscal ?
  3. – Compro videogame “destravado” ?
  4. – Trabalho em empresas que fabricam drogas lícitas ou armas ?
  5. – Paro em fila-dupla ou em vagas proibidas ?
  6. – Não paro na placa PARE ou não dou seta pra mudar de faixa ?
  7. – Uso o cinto de seguranças pra não levar multa ?
  8. – Pago ágio pra ter primeiro alguma coisa ?
  9. – Compro um automóvel financiado com juros extorsivos pra tê-lo e mostrá-lo ?
  10. – Tenho empregada doméstica ainda sem registro ?

Agora vamos as possíveis implicações de cada uma dessas atitudes cotidianas :

  1. Comprar CDzinho pirata do tio do CD alimenta uma indústria gigantesca de falsificação e destrói a possibilidade de criação de um mercado legal saudável. Não ponha a culpa nos impostos. Eles são altos, sim, mas um crime não justifica o problema. Reivindique mudanças. Saia à rua. Exija seus direitos. Brigue.
  2. Comprar mercadorias sem Nota Fiscal alimenta a indústria do contrabando, da sonegação de divisas e da corrupção. Ou você acha que a quantidade de mercadorias sem Nota Fiscal que chega ao país é um pouquinho ? Ou você acredita que está ajudando o tio que está vendendo ? Aqui, mais uma vez não cabe a desculpa do imposto alto. Substitua o produto.
  3. Comprar videogame destravado com a desculpa do imposto, hein ? Também concordo que 75% de tributação é um absurdo, mas de novo, vamos brigar. A Nintendo deixou o país porque o volume do mercado era absurdamente pequeno, mas todos que conheço tiveram um Wii. Como será ?
  4. – Essa é particularmente complexa. Também tomo minha bebidinha, mas sabemos que em excesso é um mal. E tabaco então ? A questão aqui é muito pessoal. Você se permite trabalhar numa indústria que o principal objetivo é o extermínio de um ser humano e que briga e torce por conflitos entre países, mesmo que ela seja uma das 100 melhores empresas para se trabalhar ?
  5. – Mas é rapidinho. Só vou ali… Temos sempre uma desculpa pra justificar porque burlamos a lei.
  6. – Eu tenho um amigo americano que uma vez me questionou porque temos placa PARE se ninguém para na placa PARE. Honestamente não sei responder. Somos acostumados a não respeitar leis.
  7. – Mais uma lógica louca de nossa essência. Não usamos cinto de segurança porque é comprovado que salva vidas, mas para não ser multados. Quanta gente sai da garagem e coloca o cinto quando chega na rua ?
  8. – Num país sério, se alguma empresa sugere um pagamento adicional pelo lançamento, o produto encalha pra sempre e a empresa perde credibilidade.
  9. – Vivemos muito de aparências. Nos cobram juros loucos, pelo simples fato de ter um bem que alimenta nosso ego. Essa é extremamente perversa com as classes menos favorecidas.
  10. – Mais uma de nossas raízes escravocratas. Primeiro, porque ainda temos empregadas e depois, porque algumas ainda trabalham em situações degradantes ?

Esse questionário é falso, não tem base estatística nenhuma, mas é uma prova de porque passamos pelas dificuldades que passamos. Não somos um povo cordial, somos um povo relapso e acostumado. Extremamente acomodados numa colônia de exploração, que nos permite viver como reis, desde que burlemos as regras.

Enquanto não nos conscientizarmos dessa situação e façamos algo pela mudança, casos de corrupção na política continuarão existindo.

Infelizmente vivemos a síndrome do país sem neve. Não temos necessidade de lutar pelas nossas coisas, o que nos torna indolentes. Países com neve, desastres naturais ou pouco recurso natural, precisam correr atrás do seu sucesso.

 

Post Criado por Marcus Vinicius Sinhoreto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s