Porque Análise de Sortimento e Planograma não são Gestão de Categorias

gondola

Você ouve falar que Gestão de Categorias é a forma mais eficaz de combater os grandes concorrentes. Mas não sabe muito bem o que esse negócio quer dizer…

Aí você pensa naquela consultoria que te disseram que é boa e bem econômica.

Os consultores te falam que tem um “Processo Simplificado” de Gestão por Categorias. Que esse processo usa um método fast e que em pouco tempo você terá resultados.

Você pensa, me dei bem. Vou economizar tempo e uma boa grana.

Então eles iniciam o trabalho com Análise de Sortimento. Bonito nome. Tiram alguns produtos, incluem outros e você meio sem certeza se isso vai dar algum resultado. Mas te mostram um gráfico bonito.

Devem saber o que estão fazendo.

Então o resultado geral da seção melhora. Ótimo.

Fez Gestão de Categorias ? Sinto em dizer, nem perto disso…

Ué, como assim ???

Aí vem a segunda parte do projeto Simplificado Fast Master Ultra, uma análise de posicionamento dos produtos na seção. Tira daqui, leva pra lá, aumenta frentes de um, tira frentes de outro. Usa um programa bonito que mostra um desenho da gôndola, mas de novo você não espera muito resultado.Mas aí de novo o resultado melhora. Diminui rupturas e melhora o giro.

Então agora fiz Gestão de Categorias ? Não, não fez…

Te digo porque. A premissa básica de um processo de Gestão de Categorias é adequar seu PDV a necessidade do Shopper, através do estudo das categorias que se encontram na sua loja, sempre com a visão desse Shopper. Tudo começa pelo que ele busca e como encantamos esse Shopper, adequando nossa loja a essa necessidade.

Revisões de sortimento e melhorias de posicionamento, são ações importantes a serem tomadas constantemente por qualquer ponto de vendas para melhorar a operação, mas desvinculado de um processo estruturado de GC, pode num primeiro momento trazer resultados, pela ineficiência alta que aquele PDV apresentava antes. É o famoso, em terra de cego, quem tem um olho é rei.

Mas depois dessa primeira limpeza e esse pequeno ganho, podemos acabar alterando essa loja de uma forma em que o Shopper não mais se identifique com ela e os malefícios serão bem maiores que esses primeiros pequenos ganhos.

Então o que fazer ? Lamento, mas não existe almoço grátis.

Para um processo estruturado de Gestão de Categorias é fundamental contratar uma consultoria especializada, com experiência em implantação e vastos estudos de Shopper Understanding.

Post Criado por Marcus Vinicius Sinhoreto

3 comentários sobre “Porque Análise de Sortimento e Planograma não são Gestão de Categorias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s